Andar pelas ruas de Olinda durante o carnaval é um experimento. Além de toda a sonoridade característica do carnaval misturada à presença de Alceu no ar que se respira, dá pra entender o burburinho em torno de Olindance e Carnaval no Inferno, pérolas de Academia da Berlinda e Eddie, lançadas em 2011 e 2008 respectivamente. Para o público de 20 e poucos anos desta cidade, que insiste em desviar do assunto quando a conversa vai para uma eventual ‘rivalidade com o Recife’, estes dois discos são dois tratados do que significa ser dali. Não por acaso, são dos shows mais cheios no polo Erasto Vasconcelos, palco dedicado à ~alternatividade.

Diante disso, é natural que a expectativa em torno de um lançamento seja alta e, muitas vezes, geradora de frustração. Mundo Engano é o sétimo trabalho de estúdio de Eddie, conjunto de dez faixas que colocam o mar e seus movimentos como metáfora para o imprevisível. Sequências como Girando o Mundo e O Mar Lá Fora alternam com beleza os dias de folia e a quarta-feira de cinzas. O mar, que é sinônimo de tanta coisa, que te diverte mas também te machuca, onde reina o acaso, em contraponto às emoções, ao que se passa dentro da cabeça da gente, são ideias reforçadas na canção.

single: Eddie – O mar lá fora (Pernambuco, 2017)
Ilustração de Helder Santos

A capa do single, lançado no ano passado, apontava a direção para onde a banda pretendia ir. A ilustração de Helder Santos mostra um homem que, da sombra, observa uma onda gigante e colorida. Desde a primeira escuta, ficou muito evidente para mim o diálogo com obras como O Velho e o Mar, de Ernest Hemingway e Vinte Mil Léguas Submarinas, de Júlio Verne.

single: Eddie – Correnteza (Pernambuco, 2017)
Ilustração de Helder Santos

Outro single lançado antes do disco sair, A Correnteza, passa por outro clássico. A canção é inspirada no livro Os Trabalhadores do Mar, de Victor Hugo. 

A capa do disco, lançado no início do de 2018, também dialoga com os singles antecipados. A imagem foi tema de uma conversa da banda com o Estadão.

Na ilustração de Helder Santos escolhida para ilustrar a capa do sétimo disco de inéditas da banda Eddie, de nome Mundo Engano, um barquinho a vela, tripulado por sete pessoas, se vê diante de uma onda gigante, no formato de uma mão enorme. Pode ser um afago, pode ser um estrondo, não se sabe ao certo. O fato é que a maré vai carregá-los até lá. “É algo que, de repente, muda tudo”, explica Fábio Trummer, vocalista do grupo de Olinda.

Eddie – Mundo Engano (Pernambuco, 2018)
Ilustração de Helder Santos

Show CommentsClose Comments

Leave a comment