Sabia vinha coisa boa por aí quando minha amiga Ana Alyce Ly me contou que a capa do novo disco da Tássia Reis tinha sido feita por uma mulher de BH. Eu, que não conhecia nem cantora nem ~capista, fiquei obcecada por este vídeo, essa sensibilidade, os temas:

Não tenho certeza, mas reconheço várias locações do clipe, principalmente o mirante, que parece ser um lugar que amo em BH, minha cidade natal. <3

Tássia Reis… bom, hoje ela é um dos nomes e vozes mais proeminentes do rap nacional, com um dos discos mais elogiados de 2016. Domitila de Paulo é belo-horizontina, formada em design de moda e criadora da BAPHO, marca de acessórios usados pela Liniker e pela própria Tássia Reis.

Adepta da técnica da colagem analógica, Domitila de Paulo contou à Farm que passa “horas visitando sebos, inclusive em viagens, lutando contra a rinite e buscando livros de geografia e revistas”, e explica:

“Colagem pra mim era como se fosse um grande diário. Fazia e guardava. Comecei a mostrar alguma coisa, levei pra uma imersão de afrocriadores em São Paulo, onde conheci pessoalmente a Tássia Reis. Depois de um ano, simplesmente em uma tarde, ela me mandou uma mensagem dizendo que estava apaixonada pelo meu trabalho e que queria muito que eu fizesse a capa do novo EP dela”.

Tássia Reis – Outra Esfera (São Paulo, 2016).
Direção de arte de Domitila de Paulo.
Foto de Larissa Isis.
Tipografia de Julio Limiro.

Em entrevista à Elle, Tássia Reis conta como o trabalho de Domitila conseguiu retratar um pouco do seu misticismo: 

“Sou apaixonada por colagens e conheci a Domitila de Paulo (artista visual mineira) em um evento de imersão chamado Afrotranscedência. Me apaixonei por uma série sobre Deusas do Orun. O trabalho dela é todo analógico, ela garimpa as imagens, recorta e cola. Ficamos alguns dias juntas, expliquei por que escrevi cada faixa, desde o que desejava dizer até o que queria sentir. Ela transcendeu a ideia, falou que eu já era um universo cheio de coisas. Então, a capa terminou com várias referências diferentes. (…) Tem o candomblé nos raios da cachoeira se comunicando com as flores e a lua. Tenho esse lance de astrologia em que a lua é muito importante. Ela determina muita coisa, desde a colheita até o crescimento cabelo, como ela não vai nos influenciar?”

Nas redes da Domitila dá pra conhecer a série Deusas do Orun, mencionada pela cantora.

Show CommentsClose Comments

Leave a comment